Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2016

OS OITO ASPECTOS DA ILUMINAÇÃO SEGUNDO O BUDISMO

Os Oito Aspectos da Iluminação By Jigme Wangchuck (Leonardo Ota)
. Published on 16 de julho de 2013. 
O texto a seguir foi extraído do siteÁguas da Compaixão. –– Os vários Budas foram todos pessoas iluminadas. A sua iluminação possui oito aspectos importantes. A realização destes oito aspectos é a base do Nirvana. Este foi o ensinamento final do nosso professor original, o Buda Shakyamuni, dado na noite de sua morte. 1. Ter poucos desejosTer poucos desejos significa não buscar extensivamente os objetos de desejo. O Buda disse: “Praticantes! Vocês deveriam saber que aqueles que querem muitas coisas buscam tanto a fama quanto o ganho, e assim as suas aflições são muitas. Aqueles com poucos desejos, entretanto, nada procuram e não tem anseios, e assim não sofrem. Portanto vocês deveriam rapidamente se libertar da cobiça, tanto por este motivo como pelo motivo de que esta liberdade dará origem a várias virtudes. Além disso, as pessoas com poucos desejos estão livres da lisonja e da extraviação,…

UM CAMINHO PARA A ILUMINAÇÃO OU DESPERTAR ? - O TRILHAR DA SIMPLICIDADE E HUMILDADE...

Um caminho para a iluminação ?Iluminação, no oriente, representa também Despertar. Compreender as causas e origens do sofrimento e as formas para o ultrapassar, promovendo também o alívio do sofrimento a todos os outros. Este despertar pode ser realizado por qualquer pessoa, de qualquer condição. Não é necessariamente alguém que faz muitos exercícios de yoga, que reza ou medita muito que exclusivamente encontra o sentido e o despertar.
Muitas pessoas, de origem humilde e simples, alcançam também a iluminação e não têm consciência disso porque iluminação não faz parte do seu “dicionário”, ou seja, não faz parte de uma procura incessante na vida, mas sim de uma parte natural da sua vida. Geralmente o seu sentido de justiça é muito humano, são equânimes, bondosas e auxiliadoras. A sua profissão é realizada com agrado e compreendem o significado do sacrifício. Não ensinam outros, mas vivem e partilham a sua forma de viver e os seus resultados com os outros. Por isso mesmo, o despertar, a i…

MUDRA DA SUPREMA ILUMINAÇÃO

Dainichi Nyorai
Este mudra está associado a Dainichi Nyorai, converte ignorância e confusão em sabedoria de consciência primordial. Pode também ser chamado de Chiken-in 智拳印. O mudra corresponde à primeira viragem da roda do dharma em Sarnath, por Buda, onde foi dado o primeiro sermão após alcançar a iluminação. O mudra é formado com o dedo indicador da mão esquerda esticado e os dedos da mão direita a agarrá-lo. Ele representa a união dos cinco elementos (terra, ar, água, fogo e metal), com a mente ou consciência espiritual, por isso mesmo também se chama o mudra dos seis elementos. Mudra da Suprema Iluminaçãoby · Janeiro 13, 2016
Um mudra é um gesto sagrado, é uma posição determinada dos dedos e da própria mão, que faz gerar energia ou que nos conecta a determinada vibração da energia. No hinduísmo e no budismo podemos encontrar muitos mudras. Um deles é o mudra da Suprema Iluminação Kakushō-in 覚勝印

Fonte:http://www.joaomagalhaes.com/o-tao-do-reiki/2016/01/5614/

A SEMENTE DA RAIVA - THICH NHAT HAHN

A semente da raiva.
No momento em que você sente raiva, você tem a tendência de acreditar que seu sentimento foi criado por outra pessoa. Você culpa esta pessoa por todo o seu sofrimento. Mas, ao fazer um exame profundo, você talvez perceba que a semente da raiva que existe em você é a principal causa do seu sofrimento. Muitas outras pessoas, quando confrontadas com a mesma situação, não ficariam com a raiva com que você fica. Elas ouvem as mesmas palavras, presenciam a mesma situação, mas são capazes de permanecer mais calmas, sem se deixar afetar tanto pelas circunstâncias. Por que você se enraivece com tanta facilidade? Talvez isso aconteça porque a semente da raiva é muito forte, a semente dela pode ter sido regada no passado com excessiva frequência. Todos temos uma semente da raiva nas profundezas da nossa consciência. No entanto, em alguns de nós, esta semente é maior do que nossas outras sementes, como a do amor e a da compaixão. Quando começamos a cultivar a energia da plena consc…

RELIGIÃO NÃO SE DISCUTE : A PROPOSTA SECULAR DE DALAI LAMA

Religião não se discute
Religião é assunto de foro privado, de você com seu Deus, com sua família ou com sua paróquia. Por isso não se discute. Deixamos alguma eventual polêmica para os teólogos — não vamos nos permitir entrar num diálogo em que alguém esteja desafiando nossa fé ou tentando nos converter a algo. Essa é nossa perspectiva usual de religião — nossas convicções de foro mais íntimo, que em alguns casos não exigem justificação nem no escopo pessoal, nem para nós mesmos, que dizer para com os outros. Porém, na visão budista pode ser um tanto diferente. Uma das dúvidas mais comuns que surgem no relacionamento com os ensinamentos budistas é exatamente se o budismo é uma religião. Alguns afirmam categoricamente que sim, outros que é mais como uma ciência da mente, e ainda outros, como eu, tentam uma visão compatibilista. Isto é, embora o conceito de religião como o entendemos no ocidente não tenha uma perfeita tradução asiática, certa definição antropológica e restrita de religião …

MEDITAÇÃO ZAZEN - VOLTAR-SE PARA DENTRO E IR AO ENCONTRO DO SEU VERDADEIRO SER - MONJA COEN

Meditação ZazenVoltar-se para dentro e ir ao encontro do seu verdadeiro SerPor Monja CoenZazen significa sentar-se em Zen. Zen é uma palavra que veio do sânscrito dhyana ou do pali jhana. Os chineses, por onomatopeia, chamaram de Chan. A este Chan deram um ideograma, o qual os japoneses chamam de Zen. Assim, ao procurar a origem da palavra Zen, muitas vezes traduzida como meditação, encontramosdhyana. Seria o mesmo Dhyana que Patañjali recomendava aos yogis, o dhyana de Xaquiamuni Buda? O que sabemos é que foram contemporâneos. Xaquiamuni Buda viveu na Índia há cerca de 2.600 anos. Ele havia praticado Yoga, de forma sistemática, por mais de seis anos. Depois de outros tantos anos de práticas ascéticas (tapas) muito rigorosas, sentou-se em Zen. Este Za (sentar) Zen (dhyana) transforma o jovem peregrino, o praticante de Yoga e de ascetismos em um Buda. O que foi esse zazen? O que aconteceu e o que acontece quando um ser humano senta-se com determinação, intenção, estabilidade, contentamento, eq…

VOCÊ SE CONHECE ? - MONJA COEN

Você se conhece?Texto da Monja Coen publicado no jornal O GloboÉ preciso cuidado. Buda dizia que a mente humana deve ser mais temida do que cobras venenosas e assaltantes vingadores. O Carnaval passou, mas ainda continua. Há carros alegóricos desfilando pelas ruas, com policiais e bandidos, traficantes e perdidos. Há fantasias remendadas de plumas e brilhos nas pessoas que se emplumam para defender o indefensável. O roto fala do rasgado. Imaginam façanhas que se tornam vergonhosas artimanhas. Acham-se salvadores da pátria. Mas é a pátria que nos salva a todos. Hitler se achava um homem bom — queria a pureza da raça. Exterminador brutal, representante de uma grande parte da sociedade de sua época. Vergonha. E muitos se calaram. Porque “não era comigo”. Até que venham bater à sua porta e, então, será tarde demais. Os homens de barbas e capuzes negros que degolam e queimam pessoas em nome da fé e do estado — será que eles se consideram errados? Será que se acham salvadores do mundo? Quebrando obr…

LAMA MICHEL RINPOCHE - "É IMPORTANTE TER UM REFÚGIO DE AMOR"

Lama Michel Rinpoche – “É importante ter umrefúgio de amor” 17 de dezembro de 2013
Um paulistano de 32 anos que desde os 12 leva uma vida monástica, usa os característicos trajes de monge budista e viaja pelo mundo para levar ensinamentos. Parece intrigante? Então espere para saber que ele foi reconhecido por seus mestres como a reencarnação de um mestre tibetano, um fato importante, mas, segundo ele, não determinante na sua escolha pessoal por permanecer no caminho. Estamos falando do Lama Michel Rinpoche, com quem tivemos a sorte de conversar em nome do Nowmastê. Na breve, mas elucidativa entrevista, a impressão que ficou foi a de imediata familiaridade. O Lama fala sobre os fundamentos budistas com clareza e generosidade, o que tornou a sessão de perguntas e respostas um momento de reflexão para toda equipe do site. É essa experiência que queremos transmitir aos nossos leitores. Nowmastê – Lama Michel, nessa vida louca que levamos, cheia de questões controversas, desde as mais complex…

ALÉM DA RELIGIÃO - UMA ÉTICA POR UM MUNDO SEM FRONTEIRAS - LIVRO NOVO DO DALAI LAMA - EDITORA LÚCIDA LETRA

Dez anos atrás, em seu best-seller Uma Ética para o Novo Milênio (Editora Sextante, 2000), Sua Santidade o Dalai Lama propôs uma abordagem da ética baseada em princípios universais em vez de religiosos. Agora, em Além de Religião, em sua forma mais compassiva e franca, ele elabora e aprofunda sua visão de um caminho não-religioso. Transcendendo as chamadas “guerras de religião”, ele descreve um sistema de ética para o nosso mundo compartilhado, que confere pleno respeito à religião. Com o mais elevado nível de autoridade espiritual e intelectual, o Dalai Lama faz um apelo inspirador para aquilo que ele chama de uma “terceira via”, um caminho para uma vida ética e feliz e para uma comunidade humana global baseada na compreensão e no respeito mútuos. Além de Religiãoé uma declaração essencial do Dalai Lama, um modelo para todos aqueles que talvez optem por não se identificar com nenhuma tradição religiosa, mas que ainda assim anseiam por uma vida de realização espiritual enquanto trabalham …