Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2015

MEDITAÇÃO E COMPAIXÃO SEGUNDO CHAGDUD TULKU RINPOCHE

Meditação e compaixão segundo Chagdud Tulku Rinpoche
POR  · OUTUBRO 6, 2014 Podemos dizer que meditação e compaixão estão intimamente relacionadas, interligadas e, de certa forma, uma é a forma que faz a outra crescer. Com a meditação, olhamos para a nossa condição, compreendemos quem somos, crescemos como o observador e como Ser Humano. Transformamos as emoções negativas e desenvolvemos um sentido para a felicidade e paz duradoura. A compaixão leva-nos a querer terminar o sofrimento dos outros, sendo muitas vezes uma virtude desperta pela meditação (consciente ou inconsciente). Todos sabemos, no nosso íntimo, que a verdadeira felicidade apenas pode ser atingida quando todos a atingirem. O Rinpoche Chagdud fala-nos sobre a Compaixão e a Meditação, de uma forma simples, como caminho para a felicidade e paz da mente e coração. “Quando olhas para as condições dos outros, sentes compaixão. Compaixão significa desejar que o sofrimento dos outros possa terminar. Ter compaixão cul…

O BUDISMO E A CONDIÇÃO HUMANA - JAMGON KONGTRUL RINPOCHE

O budismo e a condição humana – Jamgon Kongtrul Rinpoche
Vejam que oportunidade! Material antigo, mas ensinamentos sempre atuais. O budismo é à prova de bolor e mofo. Os ensinamentos do Buda e dos grandes mestres de todos os tempos continuam frescos. Descobri o texto que apresento relendo a revista Bodisatva de número 3, publicada no inverno de 1991. Que ensinamentos preciosos!
O grande mestre do budismo tibetano, Jamgon Kongtrul Rinpoche, esteve no Rio de Janeiro em 1988 para fundar o primeiro templo do budismo tibetano no Brasil, a KTC, Karma Theksum Chokorling, no bairro da Vargem Grande. A KTC é sede oficial de S. S. Karmapa para a América Latina. Nessa oportunidade o grande mestre, o III Jamgon Kongtrul concedeu ensinamentos.
“O budismo não é um fenômeno cultural. Não é do Oriente nem do Ocidente. O budismo é essencialmente chegar a ver as coisas como tal. O budismo é basicamente compreensão, e todas as pessoas têm essencialmente o potencial para praticar a sanidade absoluta. Neste …

YATRA : UMA VIAGEM EXTERNA,INTERNA E SECRETA

Yatra: uma viagem externa, interna e secretapor  13/11/2010
“Yatra: uma viagem externa, interna e secreta” registra a peregrinação de um grupo de estudantes budistas, na maioria brasileiros, pela Índia e pelo Nepal. Gravado em Full HD, o filme foi idealizado pelo Bhante Ngawang Tenphel, viabilizado pelo Dharma Yatri Peregrinações e dirigido por Melissa Flores.
“Além de ser um registro histórico valioso, na medida em que ainda não existe, nem mesmo em língua inglesa, um documentário que mostre todos os lugares mais importantes da biografia do Buda, é muito bacana podermos ter acesso a isso através do olhar de um grupo de brasileiros”, ressalta a diretora. A empreitada teve os seus desafios, já que o objetivo era fazer um documentário que transcendesse o olhar turístico tradicional.
Ao decidir entrar em contato com a cultura oriental – indiana e nepalesa – os peregrinos saem de suas zonas de conforto habituais – suas casas, camas, comida, cultura – e partem para a aventura…

KARMA - CHAGDUD TULKU RINPOCHE

Karma

Trecho do livro “Portões da Prática Budista” de Chagdud Tulku Rinpoche

Embora alguns pensem que o princípio do karma exista apenas na doutrina budista, na realidade pode ser encontrado em quase todas as tradições espirituais. Geralmente é exposto de forma simples: “Se você for bom, irá para o céu, você será feliz. Se você for mau, irá para o inferno, você sofrerá.” Nessas tradições, o princípio da inevitabilidade das conseqüências, que chamamos karma, é como um trem com apenas dois destinos: céu e inferno. A visão budista é a de que o trem tem muitas paradas intermediárias. Quanto maior a bondade de uma pessoa, maiores as suas experiências de felicidade. Quanto maior a negatividade de uma pessoa, maior o seu sofrimento e dor. A realidade atual do nosso dia-a-dia é o resultado kármico dos nossos pensamentos, palavras e atos, nesta vida e em vidas passadas.
Algumas pessoas têm dificuldade com a visão mais extensa que o budismo possui do karma porque não acreditam em reencarnação. Com…

KARMA NÃO É DESTINO - TRALEG KYABGON RINPOCHE

Karma não é Destino
Por Traleg Kyabgon Rinpoche. Publicado no site Lions Roar. Tradução livre Equipe Budismo Petrópolis.
Você não pode negar sua herança kármica, disse o último Traleg Rinpoche, mas isso não significa que não pode mudar.
As críticas ao conceito de karma frequentemente são centradas na noção de responsabilidade individual e sugerem que essa noção gera uma atitude de antipatia em relação aos outros e leva a uma tendência à culpa. O pobre é culpado por ser pobre, e assim por diante. Diz-se, erroneamente, que o budismo culpa os indivíduos por todas as suas circunstâncias e nega-lhes o poder de ação.
Se somos pobres, por exemplo, podemos acreditar, de imediato, que ficaremos assim até acabarem as dívidas cármicas; e então, depois da morte, podemos renascer em circunstâncias afortunadas, quem sabe, nos tornando um rico empreendedor. Entretanto, este tipo de pensamento não combina com a ênfase do budismo na interconectividade de tudo, que confirma a abundante complexidade de infl…

A MENTE LIVRE E O MITO DO EU - DZOGCHEN PONLOP RINPOCHE

A mente livre e o mito do eu | Dzogchen Ponlop Rinpoche
Quando Buda ensinou sobre essa natureza impermanente e composta (ou agrupada) da mente relativa, ele o fez com o objectivo de apresentar aos seus discípulos a natureza última da mente: a consciência imutável, pura e não fabricada. Aqui, o budismo separa-se radicalmente de conceitos teológicos, como pecado original, que vêem a humanidade como espiritualmente maculada por alguma violação herdada da lei divina. A visão budista afirma que a natureza de todos os seres é primordialmente pura e plena de qualidades positivas. Quando acordamos o suficiente ao ponto de ver além da nossa confusão, percebemos que mesmo os nossos pensamentos e emoções problemáticos são, no fundo, parte dessa consciência pura. Reconhecer isso leva-nos naturalmente a uma experiência de relaxamento, alegria e humor. Já que tudo o que vivenciamos no nível relativo é ilusório, não precisamos levar nada tão a sério. Do ponto de vista do estado último, é como um sonho…

SAMSARA : O SIGNIFICADO DA RODA DA VIDA

A Roda da Vida: A chave para a nossa existência SamsaraA roda da vida (bhavachakra em sânscrito, ou samsara para os outros) é frequentemente encontrada nas paredes exteriores dos mosteiros, em cada lado da entrada principal.Ela representa samsara, que é um sinônimo da palavra vida.A "roda" também passa a ser um sinônimo de samsara, como pode também significa "ciclo" ou "rotação".
Significado da BhavachakraPor Samsara (bhavachakra) estamos a falar de todas as existências que são condicionadas por:. Ignorância, do sofrimento e do fluxo inexplicável de tempo, muitas vezes representado por Yama segurando a roda da vida Nirvana, por outro lado, representa o mundo afetado por emoções negativas , que, por definição, é a natureza da verdadeira felicidade. A noção de uma rotação ou ciclo, é explicado pelo fato de que os seres humanos ou seres, como vou chamá-los para o restante deste artigo, não ocupam um lugar estável dentro de Samsara, mas dependendo do seu Karma v…