Pular para o conteúdo principal

Postagens

A MONJA BUDISTA JETSUNMA TENZIN FALA SOBRE A PACIÊNCIA SER O ANTÍDOTO DA RAIVA

Nós temos que ser gratos principalmente às pessoas difíceis. Quando alguém é muito 'difícil' conosco, cria muitos problemas, ao invés de ficarmos abertos à raiva e chateados, deveríamos olhar para a situação como uma oportunidade: 'Ahhh, obrigada! Você é tão horrível!'
“(...) Entregar-se às emoções negativas é como fazer conosco o que o nosso pior inimigo nos desejaria. Buda já disse que o ódio só cessa com o amor. É assim que nos desenvolvemos, Enxergando as situações e as pessoas mais difíceis como oportunidades" Excelente vídeo, fala de forma muito engraçada sobre os desafios diários de convivência, de como lidar com as nossas frustrações e emoções que surgem a partir desses 'desafios'. Vale a pena conferir e rir um pouquinho junto com a monja budista!


Fonte:Positividade Online
Postagens recentes

A BELEZA DA FUTURA DALAI LAMA: BUDISMO E FEMINISMO - PADMA DORJE

A BELEZA DA FUTURA DALAI LAMA: BUDISMO E FEMINISMO-Padma Dorje
mar 8, 201721 minutos de leitura

Embora o budismo tenha ao longo de sua história muitas vezes corroborado visões machistas — e seguir um caminho espiritual na Ásia sempre tenha sido mais difícil para as mulheres do que para os homens — há também motivos para regozijar com a presença do feminino em forma exaltada, particularmente no budismo tibetano. De forma alguma tentando isentar a estrutura institucional do budismo, é preciso contextualizar que uma cultura machista necessariamente colore de machismo todas as atividades que ocorrem nela. A maioria de nós que vê valor no darma gostaria que ele fosse uma força sempre revolucionária, sempre em contraponto com as injustiças do mundo. No entanto, a característica revolucionária do budismo não é propriamente temporal. Particularmente em termos temporais o budismo até eventualmente se engaja na transformação das estruturas — por exemplo, um mestre pode diminuir a caça e o abate de a…