Pular para o conteúdo principal

MENTE BÚDICA - OSHO


Mente Búdica - Osho

"Osho o que significa a Mente Búdica?

Isso tem sido perguntado por muitos séculos. Por vinte e cinco séculos todos que são interessados em Gautama o Buddha tem feito essa mesma pergunta: O que é a Mente do Buda?
Esta pergunta é significante - é significante porque a própria pergunta cria um paradoxo. A mente do Buda é a não mente. Se falar qualquer coisa sobre a mente do Buda é o mesmo que dizer algo sobre a não-mente. 
Nós vivemos na mente, o Buda foi além. Ele não é mais a mente, ele é não-mente. Logo, a mente do Buda não significa um certo tipo de mente, ela simplesmente significa a transcendência da mente
A questão é significativa, e bem fundamental: é o início da inquirição, a real inquirição.
O discípulo não pergunta, O que é Deus?; ele não pergunta, O que é o paraíso?; ele não pergunta O que é o pecado?; ele faz a pergunta mais existencial: O QUE É A MENTE DO BUDA?, porque compreender a realidade da mente búdica é compreender o fundamento da própria existência.
A mente do Buda é a pura consciência. 
É como um espelho: ela simplesmente reflete, não há projeções; não há ideias, nenhum conteúdo, nem pensamentos, nem memória, nem desejos, nem imaginação, nem memória. 
É o presente do sempre-presente, é viver o momento presente, E quanto se está completamente no presente, a mente desaparece, ela perde seus limites. Apenas uma grande vacuidade acontece a você. É claro, que essa vacuidade não é vazia no sentido comum da palavra, é uma espécie de plenitude - vazia no que diz respeito as coisas do mundo.

Buddha sempre diz: Não sou um filósofo. Sou um médico. Não quero intelectualizar, quero torná-lo inteligente. Não quero lhe dar uma resposta para se agarrar, quero lhe dar percepções para que suas questões se evaporem.
Precisamos estar alertas com a mente, porque a mente pode lhe dar muitas questões que lhe conduz por direções erradas, e então não termina nunca; você seguirá e seguirá para sempre. Dez mil anos de filosofias e não se chegaram a nenhuma simples conclusão.
Esteja consciente que sua mente é uma grande enganadora. E assim como sua mente é enganadora, a mente dos outros também são. Se você faz a pergunta errada, receberá as respostas erradas. (...)
Buddha diz: Não estou interessado em perguntas, a menos que sejam perguntas existenciais, a menos que me faça perguntas que são capazes de causar transformações - não apenas para informar, não apenas para acumular conhecimento.
Para perguntas erradas existem muitos professores no mundo que estão prontos para lhe dar muitas respostas, muitos tipos de respostas; Uma resposta chega com aspectos e tamanhos diferentes, e se ajustam para cada pessoa. Mas lembre-se, existe você e a sua mente astuta, e existe os outros e mais astúcia. (...)
Lembre-se que o mundo está cheio de pessoas astutas. (...) Você pode evitá-los apenas fazendo a pergunta correta; eles não poderão responder, porque para responder a resposta correta eles terão que ter tido a experiência. A resposta correta não poderá ser dada pelo conhecimento; só poderá ser dada se eles tiverem tido uma experiência da verdade.
Isso é a beleza da pergunta correta: O que é Mente do Buda?
Bodhidarma respondeu: Sua mente, sua mente é a Mente do Buda.

Não se trata de uma questão histórica sobre uma pessoa chamada Sidharta Gautama, o Buddha. Ele lhe dá uma nova perspectiva para essa questão, Ele a torna imediatamente não existencial, mas pessoal. 
Essa questão não é mais filosófica, ela se torna uma questão sobre você. 

Você pode perguntar sobre Buddha, mas nas mãos de Boddhidarma, essa questão é imediatamente transformada, modificada. Ela se torna uma flecha que vai direto ao seu coração.
Sua mente é a mente do Buddha.
A Budeidade não é algo que acontece a alguém; Budeidade é um potencial; é algo que está esperando para acontecer a você; 
Logo, a primeira coisa a ser dita é: É a sua mente. 
Mente Búdica não é algo estranho a você, é o seu centro mais profundo, sua verdadeira natureza. 

Vocês são Buddhas - talvez inconscientes dos fatos, talvez um pouco adormecidos, mas isso não faz diferença. Um Buddha adormecido ainda é um Buddha. Um Buddha inconsciente da sua própria budeidade ainda permanece um Buddha. Sua mente é a mente do Buddha."
Osho em The White Lotus

Postagens mais visitadas deste blog

OS MUDRAS NO BUDISMO E SEU SIGNIFICADO

Os Mudras no Budismo 

Os mudras são os gestos simbólicos que são associados aos budas. Esses gestos são muito utilizados na iconografia hindu e budista.

Mudra, uma palavra com muitos significados, é caracterizada como gesto, posicionamento místico das mãos, como selo ou também como símbolo. Estas posturas simbólicas dos dedos ou do corpo podem representar plasticamente determinados estados ou processos da consciências. Mas as posturas determinadas podem também, ao contrário, levar aos estados de consciência que simbolizam. Parece que os mudras originaram-se na dança indiana, que é considerada expressão da mais elevado religiosidade. [...] O significado espiritual dos mudras encontra sua expressão perfeita na arte indiana. Os gestos das divindades representadas na arte hinduísta e budista e os atributos que os acompanham simbolizam suas funções ou aludem a determinados acontecimentos mitológicos. [...] No decorrer dos séculos, os budas e bodhisattvas representados iconograficamente com s…

PORTÕES DA PRÁTICA BUDISTA - CHAGDUD TULKU RINPOCHE - SÍNTESE DE GISLAINE D'ASSUNPÇÃO

PORTÕES DA PRÁTICA BUDISTA

Chagdud Tulku Rinpoche
Ed. Paramitas Ltda, 1995, Taquara – R.S




Trabalhando com o Apego e Desejo
Para compreender como o sofrimento aparece, pratique observar sua mente. Neste espaço da mente não há problemas não há sofrimento. Então, alguma coisa prende sua atenção - uma imagem, um som, um cheiro. Sua mente se subdivide em interno e externo, “eu” e “outro” sujeito e objeto. Com a simples percepção do objeto, não há ainda nenhum problema, Porém, quando você se foca nela,  nota que é grande ou pequeno, branco ou preto, quadrado ou redondo. Então você faz um julgamento – por exemplo, se o objeto é bonito ou feio. Tendo feito esse julgamento, você reage a ele: decide que gosta ou não do objeto.
 É aí que o problema começa, pois “Eu gosto disto” conduz a “Eu quero isto”. Igualmente, “Eu não gosto disto” conduz a “Eu não quero isto”. Se gostamos de alguma coisa, se a queremos e não podemos tê-la, nós sofremos. Se a queremos, a obtemos e depois a perdemos, nós sofremos.…

PARA COMPREENDER O BUDISMO

PARA COMPREENDER O BUDISMO
1- INTRODUÇÃO:
O Budismo é uma religião e filosofia baseada nos ensinamentos deixados por Siddhartha Gautama, ou Sakyamuni (o sábio do clã dos Sakya), o Buda histórico, que viveu aproximadamente entre 563 e 483 a.C. no Nepal. De lá se espalhou através da ÍndiaÁsiaÁsia Central,TibeteSri Lanka (antigo Ceilão), Sudeste Asiático como também para países do Leste Asiático, incluindo ChinaMyanmarCoréiaVietnã eJapão. Hoje o budismo se encontra em quase todos os países do mundo, amplamente divulgado pelas diferentes escolas budistas, e conta com cerca de 376 milhões de seguidores. Os ensinamentos básicos do budismo são: evitar o mal, fazer o bem e cultivar a própria mente. O objetivo é o fim do ciclo de sofrimento,samsara, despertando no praticante o entendimento da realidade última - o Nirvana. A moral budista é baseada nos princípios de preservação da vida e moderação. O treinamento mental foca na disciplina moral (sila), concentração meditativa (samadhi), …