Pular para o conteúdo principal

MANTRAS BUDISTAS TIBETANOS

Resultado de imagem para mantras budistas tibetanos
Mantras Budistas Tibetanos
Resultado de imagem para mantras budistas tibetanos
“Os mantras nem sempre possuem um significado claro e muitos deles são compostos por sílabas aparentemente ininteligíveis. Mesmo assim, eles são efetivos porque ajudam a manter a mente quieta e pacífica, integrando-a automaticamente na concentração. Eles fazem a mente ser receptiva às vibrações muito sutis e, portanto, aumentam sua percepção. Sua recitação erradica as negatividades grosseiras e a verdadeira natureza das coisas pode ser refletida na claridade resultante em sua mente.”   Lama Zopa Rinpoche
“Um mantra não é nem uma “palavra mágica” nem um “encantamento”. é um instrumento da representação e concentração mentais e por isso um recurso do poder mental (mas não de forças sobrenaturais). A raiz “man” significa “pensar”, enquanto o sufixo “tra” exprime um instrumento, um recurso de acionamento. O efeito do mantra não depende, por conseguinte, de sua entonação — este é outro mal-entendido amplamente divulgado —, mas sim da atitude mental, das associações conscientes e inconscientes que são criadas através da intuição e dos exercícios a ela ligados.”  Lama Anagarika Govinda
Os mantras do budismo tibetanos podem ser entoados tanto em sânscrito como em tibetano. Abaixo alguns dos mais conhecidos mantras do budismo tibetano, com áudio. Abaixo a explicação por um dos mais renomados mestres da história do Tibete, sobre o mais conhecido mantra, o mantra da compaixão. Cada mantra está associado a uma qualidade ou a um mestre. Os mantras são repetidos com a ajuda de um mala, um tipo de rosário tibetano, com 108 contas.
Om Mani Padme Hum  (sânscrito) – (Chenrezig) (Avaloktesvara) – Buda da Compaixão
Om Mani Pemé Hung (tibetano)
“O mantra Om Mani Padme Hum é fácil de dizer mas muito poderoso, pois contém a essência de todo o ensinamento. Quando você diz a primeira sílaba Om é abençoada para ajudá-lo a alcançar perfeição na prática da generosidade, Ma ajuda a perfeita prática da ética pura, e Ni ajuda a alcançar perfeição na prática da tolerância e paciência. Pad, a quarta sílaba, ajuda a alcançar a perfeição da perseverança, Me ajuda a alcançar perfeição na prática da concentração, e a sexta sílaba final Hum ajuda a alcançar perfeição na prática da sabedoria.
Assim, deste modo recitação do mantra ajuda a alcançar a perfeição nas seis práticas de generosidade para com sabedoria. O caminho destes seis perfeições é o caminho trilhado por todos os Budas dos três tempos. O que poderia, então, ser mais significativo do que para dizer o mantra e realizar as seis perfeições?”   Dilgo Khyentse Rinpoche
Om Mani Padme Hum 1 (orquestrado pelo músico brasileiro Marcus Viana)
Om Mani Padme Hum 2
Om Muni Muni Maha Muni Sakyamuni Svaha (Buda Sakyamuni)
Om Ah Hung Benza Guru Pema Siddhi Hung  (Padmasambhava)
Om Ah Ra Pa Tsa Na Dhi Dhi Dhi….. (Manjushri) (Buda da Sabedoria)
Tayata Om Bekandze Bekandze Maha Bekandze Radza Samudgate Soha(Buda da Medicina)
Om Gate Gate Paragate Parasamgate Bodhi Svaha
Sutra do Coração – Prajna Paramita
Om Tare Tutare Ture Soha   (Tara Verde)
Om Tare Tam Soha      (Tara Vermelha)
Om Tare Tuttare Ture Mama Ayuh Punya Jñana Pustim Kuru Svaha (Tara Branca)
Mantra das 100 sílabas

Om Ami Deva Hri – Amitabha

Fonte:https://budismopetropolis.wordpress.com/mantras/

Postagens mais visitadas deste blog

OS MUDRAS NO BUDISMO E SEU SIGNIFICADO

Os Mudras no Budismo 

Os mudras são os gestos simbólicos que são associados aos budas. Esses gestos são muito utilizados na iconografia hindu e budista.

Mudra, uma palavra com muitos significados, é caracterizada como gesto, posicionamento místico das mãos, como selo ou também como símbolo. Estas posturas simbólicas dos dedos ou do corpo podem representar plasticamente determinados estados ou processos da consciências. Mas as posturas determinadas podem também, ao contrário, levar aos estados de consciência que simbolizam. Parece que os mudras originaram-se na dança indiana, que é considerada expressão da mais elevado religiosidade. [...] O significado espiritual dos mudras encontra sua expressão perfeita na arte indiana. Os gestos das divindades representadas na arte hinduísta e budista e os atributos que os acompanham simbolizam suas funções ou aludem a determinados acontecimentos mitológicos. [...] No decorrer dos séculos, os budas e bodhisattvas representados iconograficamente com s…

PORTÕES DA PRÁTICA BUDISTA - CHAGDUD TULKU RINPOCHE - SÍNTESE DE GISLAINE D'ASSUNPÇÃO

PORTÕES DA PRÁTICA BUDISTA

Chagdud Tulku Rinpoche
Ed. Paramitas Ltda, 1995, Taquara – R.S




Trabalhando com o Apego e Desejo
Para compreender como o sofrimento aparece, pratique observar sua mente. Neste espaço da mente não há problemas não há sofrimento. Então, alguma coisa prende sua atenção - uma imagem, um som, um cheiro. Sua mente se subdivide em interno e externo, “eu” e “outro” sujeito e objeto. Com a simples percepção do objeto, não há ainda nenhum problema, Porém, quando você se foca nela,  nota que é grande ou pequeno, branco ou preto, quadrado ou redondo. Então você faz um julgamento – por exemplo, se o objeto é bonito ou feio. Tendo feito esse julgamento, você reage a ele: decide que gosta ou não do objeto.
 É aí que o problema começa, pois “Eu gosto disto” conduz a “Eu quero isto”. Igualmente, “Eu não gosto disto” conduz a “Eu não quero isto”. Se gostamos de alguma coisa, se a queremos e não podemos tê-la, nós sofremos. Se a queremos, a obtemos e depois a perdemos, nós sofremos.…

PARA COMPREENDER O BUDISMO

PARA COMPREENDER O BUDISMO
1- INTRODUÇÃO:
O Budismo é uma religião e filosofia baseada nos ensinamentos deixados por Siddhartha Gautama, ou Sakyamuni (o sábio do clã dos Sakya), o Buda histórico, que viveu aproximadamente entre 563 e 483 a.C. no Nepal. De lá se espalhou através da ÍndiaÁsiaÁsia Central,TibeteSri Lanka (antigo Ceilão), Sudeste Asiático como também para países do Leste Asiático, incluindo ChinaMyanmarCoréiaVietnã eJapão. Hoje o budismo se encontra em quase todos os países do mundo, amplamente divulgado pelas diferentes escolas budistas, e conta com cerca de 376 milhões de seguidores. Os ensinamentos básicos do budismo são: evitar o mal, fazer o bem e cultivar a própria mente. O objetivo é o fim do ciclo de sofrimento,samsara, despertando no praticante o entendimento da realidade última - o Nirvana. A moral budista é baseada nos princípios de preservação da vida e moderação. O treinamento mental foca na disciplina moral (sila), concentração meditativa (samadhi), …