Pular para o conteúdo principal

ESCOLAS BUDISTAS

Resultado de imagem para ESCOLAS BUDISTAS

ESCOLAS BUDISTAS

(o texto a seguir é apenas uma tentativa de esclarecer, de modo resumido, dúvidas sobre as diversas escolas budistas existentes hoje)

A primeira grande divisão dos praticantes budistas na Índia aconteceu cerca de 100 anos depois da morte de Buda (entre 500 e 400 A.C.), quando houve divergências sobre a doutrina.
Criou-se um grupo denominado “Sthavira” (sânscrito: “ensinamento dos mais velhos”; em pali, a palavra correspondente é “Theravada”) e o grupo “Mahāsāṃghika” (“grande sangha”, já que eram a maioria).

Theravada


Monges Theravada
A atual escola Theravada descende diretamente do primeiro grupo da divisão citada. É a escola budista mais antiga entre as existentes, cuja prática é bem próxima do budismo inicial.
A linha Theravada predomina no Sri Lanka e boa parte do Sudeste Asiático (Camboja, Laos, Birmânia e Tailândia), além de estar presente também em países como Vietnã, China, Malásia e Indonésia.

Mahayana


Borobudur, Indonésia - Os monumentos circulares chamados de "estupas" estão intimamente ligadas ao advento Mahayana
Denomina-se Mahayana o tipo de budismo que se espalhou da Índia para países como China, Japão, Coréia, Tibete, Vietnam, entre outros. Essa escola teria se originado do grupo Mahāsāṃghika da primeira divisão, aproximadamente em 500 A.C..
Como peculiaridades, havia maior reverência e louvor a diversos budas e bodisatvas, além de leigos (pessoas sem ordenação monástica) começarem a se destacar mais como praticantes. O termo, que começou a ser usado aproximadamente em 100 A.C, é um sinônimo para bodhisattvayana, o caminho da busca da iluminação para o benefício de todos os seres.

Escolas Mahayana

Praticantes Mahayana deram origem a diversas sub-escolas, cujas principais são:

Amitabha, ou Amida (como é chamado no Japão)
Terra Pura - Originou-se na Índia, sendo que os registros mais antigos datam do século 2. O foco é a devoção ao buda Amitabha. Atualmente, essa é uma das escolas budistas com mais adeptos em países como Japão, China e Coréia.

Mandala
Vajrayana - Surgiu ainda na Índia, provavelmente por volta do século 4. Cada escritura é denominada “tantra”, vindo daí o termo “tantrayana”, ou budismo tântrico. Entre os traços característicos, estão a utilização de mantras e rituais elaborados. No Tibete, essa linha se tornou predominante. Também se difundiu na China e Japão.

O fundador do Zen japonês, Dogen
Zen - Surgiu na China, como budismo Chan, tendo se disseminado depois para Japão, Coréia e Vietnam. A ênfase dessa escola é a experiência pessoal em meditação, e não tanto o estudo de escrituras. No Japão, o budismo Zen foi introduzido como uma escola independente no século 12.

Nichiren
Nichiren - Surgiu no Japão no século 13, com foco no estudo do Sutra do Lótus. Essa linha influenciou significativamente — e continua influenciando — a sociedade japonesa; deu origem a diversas sub-escolas e novas religiões no Japão.

Escolas contemporâneas

Escolas tradicionais deram origem a algumas linhas contemporâneas, bem representadas no Brasil:

S.N. Goenka
Vipassana - Professores de meditação que estudaram com mestres Theravada da Birmânia e Tailândia vêm difundindo a tradicional técnica de meditação budista conhecida como Vipassana, de um modo relativamente desvinculado de uma linhagem religiosa específica. Um influente expoente dessa linha é o birmanês S.N. Goenka.

Trungpa Rinpoche
Shambhala - Linhagem que combina técnicas das escolas Kagyu e Nyingma do budismo tibetano. Foi inaugurada por Chogyam Trungpa Rinpoche, um dos primeiros lamas tibetanos e residir e ensinar amplamente no ocidente, e atualmente é liderada por seu filho e herdeiro espiritual Sakyong Mipham Rinpoche.

Kelsang Gyatso
Nova Tradição Kadampa - Foi fundada pelo tibetano Kelsang Gyatso, na Inglaterra, em 1991. O termo Kadampa se refere a uma antiga linhagem, originada no século 11, que deu origem à atual escola tibetana Gelug (da qual o Dalai Lama é o líder). Por divergências doutrinárias, houve grupos que se separaram formalmente da tradição Gelug, dando origem a novas sub-escolas; entre eles, a Nova Tradição Kadampa.

Fonte:http://darma.info/artigos/escolas-budistas/


As primeiras escolas budistas



Desde a época de Buddha, já existiam diferentes interpretações a respeito se seus ensinamentos. Após a realização de um concílio no século IV a.C., a comunidade monástica original dividiu-se em duas escolas de pensamento: Mahasanghika e Sthaviravada.

Com o passar do tempo, pelo menos dezoito escolas foram enumeradas. Todas estas escolas desapareceram, com exceção da Theravada. Esta tradição, que descende da escola Vibhajyavada do tronco Sthaviravada, continua sendo a forma de budismo predominante nos países do sul e sudeste asiático.

1. Mahasanghika
1.1 Ekavyavaharika
1.1.1 Lokottaravada

1.2 Gokulika (Kukkutika, Kukkulika)
1.2.1 Bahushrituya
1.2.2 Prajnaptivada
1.2.3 Chaitika
Shailas (Andhrakas):
1.2.3.1 Purvashaila (Uttarashaila)
1.2.3.2 Aparashaila
1.2.3.3 Siddharthika
1.2.3.4 Rajagrika

2. Sthaviravada
2.1 Haimavata
2.2 Hetuvada
2.3 Pudgalavada (Vatsiputriya)
2.3.1 Bhadrayaniya
2.3.2 Dharmottariya
2.3.3 Sammatiya
2.3.4 Sannagarika
2.4 Sarvastivada
2.4.1 Vaibhashika
2.4.2 Mulasarvastivada
2.4.3 Sautrantika (Samkrantika)
2.4.4.1 Darstantika
2.5 Vibhajyavada
2.5.1 Kashyapiya
2.5.2 Mahishasaka (duas escolas)
2.5.2.1 Dharmaguptaka
2.5.3 Theravada
2.5.3.1 Siamês
2.5.3.2 Amapura
2.5.3.3 Ramaniya

Extraído do site http://www.lojajinarajadasa.com

Postagens mais visitadas deste blog

OS MUDRAS NO BUDISMO E SEU SIGNIFICADO

Os Mudras no Budismo 

Os mudras são os gestos simbólicos que são associados aos budas. Esses gestos são muito utilizados na iconografia hindu e budista.

Mudra, uma palavra com muitos significados, é caracterizada como gesto, posicionamento místico das mãos, como selo ou também como símbolo. Estas posturas simbólicas dos dedos ou do corpo podem representar plasticamente determinados estados ou processos da consciências. Mas as posturas determinadas podem também, ao contrário, levar aos estados de consciência que simbolizam. Parece que os mudras originaram-se na dança indiana, que é considerada expressão da mais elevado religiosidade. [...] O significado espiritual dos mudras encontra sua expressão perfeita na arte indiana. Os gestos das divindades representadas na arte hinduísta e budista e os atributos que os acompanham simbolizam suas funções ou aludem a determinados acontecimentos mitológicos. [...] No decorrer dos séculos, os budas e bodhisattvas representados iconograficamente com s…

PORTÕES DA PRÁTICA BUDISTA - CHAGDUD TULKU RINPOCHE - SÍNTESE DE GISLAINE D'ASSUNPÇÃO

PORTÕES DA PRÁTICA BUDISTA

Chagdud Tulku Rinpoche
Ed. Paramitas Ltda, 1995, Taquara – R.S




Trabalhando com o Apego e Desejo
Para compreender como o sofrimento aparece, pratique observar sua mente. Neste espaço da mente não há problemas não há sofrimento. Então, alguma coisa prende sua atenção - uma imagem, um som, um cheiro. Sua mente se subdivide em interno e externo, “eu” e “outro” sujeito e objeto. Com a simples percepção do objeto, não há ainda nenhum problema, Porém, quando você se foca nela,  nota que é grande ou pequeno, branco ou preto, quadrado ou redondo. Então você faz um julgamento – por exemplo, se o objeto é bonito ou feio. Tendo feito esse julgamento, você reage a ele: decide que gosta ou não do objeto.
 É aí que o problema começa, pois “Eu gosto disto” conduz a “Eu quero isto”. Igualmente, “Eu não gosto disto” conduz a “Eu não quero isto”. Se gostamos de alguma coisa, se a queremos e não podemos tê-la, nós sofremos. Se a queremos, a obtemos e depois a perdemos, nós sofremos.…

PARA COMPREENDER O BUDISMO

PARA COMPREENDER O BUDISMO
1- INTRODUÇÃO:
O Budismo é uma religião e filosofia baseada nos ensinamentos deixados por Siddhartha Gautama, ou Sakyamuni (o sábio do clã dos Sakya), o Buda histórico, que viveu aproximadamente entre 563 e 483 a.C. no Nepal. De lá se espalhou através da ÍndiaÁsiaÁsia Central,TibeteSri Lanka (antigo Ceilão), Sudeste Asiático como também para países do Leste Asiático, incluindo ChinaMyanmarCoréiaVietnã eJapão. Hoje o budismo se encontra em quase todos os países do mundo, amplamente divulgado pelas diferentes escolas budistas, e conta com cerca de 376 milhões de seguidores. Os ensinamentos básicos do budismo são: evitar o mal, fazer o bem e cultivar a própria mente. O objetivo é o fim do ciclo de sofrimento,samsara, despertando no praticante o entendimento da realidade última - o Nirvana. A moral budista é baseada nos princípios de preservação da vida e moderação. O treinamento mental foca na disciplina moral (sila), concentração meditativa (samadhi), …