Pular para o conteúdo principal

A VIDA DE BUDA : PSICOLOGIA PROFUNDA DA MENTE,ENSINAMENTOS PARA ATINGIR A ILUMINAÇÃO(VÍDEO)



A VIDA DE BUDA : PSICOLOGIA PROFUNDA DA MENTE,ENSINAMENTOS PARA ATINGIR A ILUMINAÇÃO(VÍDEO)

Buda Shakyamuni nasceu na Índia há mais de 2.500 anos. Ele veio ao mundo como um príncipe. Mesmo quando ainda era criança, era maduro tanto em seu conhecimento como em sua compaixão. Entendeu que nós todos, por natureza, desejamos a felicidades e não queremos o sofrimento.

O sofrimento não é algo que vem sempre do exterior. Nem sempre está relacionado a problemas como a fome e a escassez. Se esse fosse o caso, poderíamos nos proteger do sofrimento, por exemplo, estocando comida. Mas o sofrimento como doença, envelhecimento e morte são problemas relacionados com a natureza intrínseca de nossa existência, e não podemos vencê-los ao mudar as circunstâncias externas. E o que é pior, temos dentro de nós esta mente indomada, suscetível a todos os tipos de problemas. Ela é afligida por energias negativas como a dúvida e a raiva. Na medida em que nossas mentes são assediadas por esta multidão de pensamentos negativos, mesmo se tivermos roupas finas e confortáveis para vestir e alimentos deliciosos à mesa, eles não resolverão os nossos problemas.

Motivado pela compaixão por todos os seres viventes, Buda Shakyamuni prestou atenção em todos esses problemas e refletiu sobre a natureza da própria existência. Descobriu que todos os seres humanos estão submetidos ao sofrimento, e viu que passamos pela experiência da infelicidade por causa de nosso estado mental indisciplinado. Ele percebeu que nossas mentes são tão rebeldes que, com frequência, não nos deixam nem dormir à noite. Confrontado com esses dilemas, foi sábio o suficiente para se perguntar se haveria um método para superar tais problemas.

Quando falamos sobre o Buda, não estamos falando de alguém que foi Buda desde o começo. Ele começou exatamente como nós. Era um ser senciente comum, sujeito ao mesmo ciclo de sofrimento que nós: nascimento, velhice, enfermidades e morte. Tinha vários pensamentos e sentimentos, tantos felizes quanto dolorosos, como nós temos. Porém, como resultado de uma prática espiritual potente e integrada, ele foi capaz de escalar os vários níveis do caminho espiritual que culmina na iluminação.

Algumas vezes, quando reflito sobre a vida do Buda Shakyamuni, tenho um sentimento incômodo. Embora o ensinamento do Buda possa ser interpretado em diversos níveis, é evidente pelos relatos históricos que ele passou por seis anos de prática rigorosa. Isso demonstra que a mente não pode ser transformada meramente pelo repouso e relaxamento, ou pelo desfrute dos confortos da vida. Isso mostra que somente através do trabalho duro e da entrega às provações durante um longo período de tempo nós seremos capazes de alcançar a iluminação.

Se lermos as histórias dos grandes mestres espirituais do passado, veremos que eles alcançaram a realização espiritual através de muita meditação, solidão e treino. Não tomaram nenhum atalho.

A raiz do sofrimento é a ignorância, o que aqui pode ser definido como a compreensão incorreta do eu. Toda infinidade de sofrimento que encontramos surge dessa compreensão incorreta, desse entendimento enganoso. Sendo assim, aqueles que seguem tais ensinamentos, pelo entendimento da visão correta e pondo-a em prática, estarão capacitados para eliminar o sofrimento.

A compaixão foi a principal motivação para que o Buda alcançasse todas as grandes qualidades de corpo, fala e mente. A essência de nossa prática também deve ser a vontade ajudar o próximo. Um desejo tão altruísta está naturalmente presente em nossos corações, no reconhecimento de que os outros são exatamente como nós, também no desejo de ser feliz e de evitar o sofrimento. É como uma semente que podemos proteger e ajudar a crescer através dos exercícios. Todos os ensinamentos do Buda tentam, essencialmente, desenvolver o coração gentil e a mente altruísta.

O caminho do Buda é baseado na compaixão, no desejo de que outros sejam libertados do sofrimento. Isso nos conduz ao entendimento de que o bem-estar dos outros é, em última análise, mais importante do que o nosso próprio, pois sem os outros não haveria prática espiritual, nem oportunidade para iluminação. Eu não presumo ter grande conhecimento ou uma alta realização, mas lembrando da bondade dos professores que me transmitiram essas instruções, e preocupado com o bem-estar de todos os seres, ofereço esses ensinamentos a você.

 São  documentários que retratam muito bem a vida e os ensinamentos de Buda, juntamente com este vídeo e lendo o texto aqui na pagina clicando em ''Quem é Buda?'' (lado superior direito), creio que é um bom modo de iniciar um estudo e conhecer melhor a história e os ensinamentos de Buda. 


Quinhentos anos antes de Cristo um jovem príncipe saiu numa jornada. Ele viajaria através da dor e sofrimento para alcançar a Iluminação ou Nirvana – estado desperto da mente em que cessam todos os karmas.
Ele fundou a primeira religião do mundo, seguida hoje por mais de 400 milhões de pessoas, uma religião onde a meditação é usada para alcançar um estado de completa paz e felicidade.
Assista o documentário “The Life of Buddha”, produzido em 2007 pela BBC. 
Dividido em 5 partes totalizando 50 min.

Documentário da BBC The Life of The Buddha Parte 1 – Legendas em Inglês



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O SIGNIFICADO DO JARDIM ZEN

O SIGNIFICADO DO JARDIM ZEN O Jardim Zen representa o universo e foi concebido para inspirar vitalidade e serenidade. Representa o caminho da vida com as suas mudanças, os altos e os baixos, contratempos e obstáculos, o claro e o escuro, a luz e a sombra. Permite e o descansar da mente ao concentrarmos-nos num único ponto. Tranquiliza a ansiedade e os medos. A filosofia Zen tem por objectivo a expansão de nossa consciência. Zen, ensina-nos a comprometer e a reconhecer os passos que tomamos para avançar no sentido de um entendimento que nos leva a uma suposto iluminação distante. Este pequeno jardim Zen japonês ou outro, leva a que se possa criar, permite-nos refletir sobre os nossos sentimentos mais profundos, através da concepção e modelos que podemos usar . As pequenas coisas se tornam importantes quando temos a oportunidade de vislumbrar o sentido do mundo num grão de areia , uma vez que foi criado na simplicidade mais perfeita . Permite, ele vai acalmar a mente , refrescar nossas alma…

QUAL O SIGNIFICADO DAS BANDEIRAS DE ORAÇÃO NO BUDISMO TIBETANO ? - AS CINCO CORES SIMBOLIZAM AS 5 SABEDORIAS DO BUDISMO

QUAL O SIGNIFICADO DAS BANDEIRAS DE ORAÇÃO NO BUDISMO TIBETANO? "Qual o significado das bandeiras coloridas? É alguma festa?" Esta é uma pergunta frequente feita por quem, pela primeira vez, chega a um centro ou mosteiro budista tibetano. A questão é legítima, uma vez que semelhante costume nunca existiu no nosso país. O costume vem do Tibete e remonta ao século XI. Foi o grande mestre indiano Atisha (982-1054) que ensinou aos seus discípulos como imprimir orações e mantras sobre pedaços de tecido, a partir de blocos de madeira gravados. Estas bandeiras, fixadas a um mastro ou a um bambu, ou cosidas a cordas esticadas entre dois pontos, ondulavam livremente ao vento. Esta tradição acabou por ser muito difundida no seio do Budismo tibetano. À volta dos mosteiros, nos sítios sagrados, presas aos ramos da árvore de Bodhi, em redor do grande Stupa em Boudhnath e mesmo junto a habitações, vemos por toda a parte. Desfraldadas ao vento, a sua presença sonora acompanha a cadência das o…

LUGARES SAGRADOS DO BUDISMO: OS MELHORES LOCAIS PARA UMA PEREGRINAÇÃO BUDISTA OU VIAGEM ESPIRITUAL

Lugares Sagrados: Os melhores locaispara uma Peregrinação Budista ou Viagem Espiritual | Parte 1 de 3
IMAGEMPUBLICADO EM 22/01/2018ATUALIZADO EM 28/01/2018 INTRODUÇÃO Existem diversos motivos que leva alguém a fazer um peregrinação budista. Pode ser simplesmente para visitar locais históricos, conhecer a história do budismo e desses locais, apreciar a magnificência dos monumentos, etc. Mas essencialmente, uma peregrinação é uma oportunidade de aprofundamento da prática. Nas palavras de Narada Mahathera: “Os Budistas não adoram imagens esperando favores espirituais ou terrenos, mas prestam reverência ao que elas representam. Um Budista consciente, oferecendo incenso e flores a uma imagem, se faz sentir expressamente a si mesmo na presença de Buddha em vida, e assim, ganha inspiração da sua personalidade nobre e respira profundamente da sua compaixão ilimitada. Tenta seguir o nobre exemplo de Buddha.” Como é sabido, imagens e símbolos têm uma influência psicológica em nós, dessa forma, numa …