Pular para o conteúdo principal

O MOSTEIRO DE NAMGYAL,DHARAMSALA,ÍNDIA

O Mosteiro de Namgyal , Dharamsala, Índia

O Mosteiro Namgyal foi fundado  no Século XVI  pelo segundo Dalai Lama, Gendun Gyatso. Desde a sua fundação, os monges Namgyal ter ajudado os Dalai Lamas em assuntos  políticos e   religiosos e  realizam  cerimônias  e rituais de oração pelo bem-estar do Tibet. O mosteiro também funciona  como um centro  de aprendizagem, contemplação e meditação dos ensinamentos  budistas.
Originalmente estava situado em Lhasa, próximo ao Palácio de Potala, residência particular dos Dalai Lamas e  desempenhou  um papel fundamental no estabelecimento religioso tibetano ao longo dos séculos.
Como resultado da invasão chinesa do Tibet em 1959, Sua Santidade o 14 º Dalai Lama e cem mil tibetanos fugiram para a Índia e Nepal. Entre os refugiados originais  tinham  55 monges do Mosteiro Namgyal. Depois que  Sua Santidade recebeu asilo na cidade indiana de Dharamsala   o  Mosteiro Namgyal foi reerguido  perto da nova residência dele.  Até hoje, quase 50 anos depois, os religiosos tibetanos e as  tradições artísticas e intelectuais estão sendo preservadas e mantidas através do esforço cooperativo do Dalai Lama e dos monges de Namgyal.
O currículo e os rigores da vida monástica foram meticulosamente mantidos  durante toda a jornada  no exílio. Os monges novatos de hoje devem primeiro passar por uma série de exames de admissão desafiadores e, se aceitos, se comprometem a realizarem muitos  anos dos tradicionais  estudos filosóficos.
Como os monges Namgyal auxiliam  Sua Santidade o Dalai Lama e  frequentemente viajam com ele, o currículo   exige também   um curso mais simplificado  do estudo sobre os elementos essenciais do sutra e do tantra.
Sua Santidade o 14 º Dalai Lama  modificou  a “grade” tradicional da escola Namgyal, incluindo um novo currículo e programa de estudo, que estão se tornando um modelo para outros mosteiros tibetanos.
O dia normal  de um monge Namgyal  é repleto de atividades:  duas horas de ritual, duas horas de artes sacras, três horas de aulas de filosofia, duas horas e meia de debate, e várias horas de meditação e estudo pessoal. Os alunos que concluírem com êxito o programa, de 13 anos de estudos, recebem o grau de Mestre em Sutra e Tantra do Mosteiro Namgyal.
Os monges também  tem que completar retiros de meditação para cada uma das principais divindades e protetores, bem como receber formação em atividades rituais. Algumas dessas atividades incluem a realização de pujas , a construção de mandalas, a performance de música sacra e dança, e outros tradicionais rituais budistas tibetanos. Essas tradições são transmitidas oralmente e de acordo com os textos.
O ciclo de retiros necessários para o estudo e a prática de rituais realizados pelo mosteiro pode levar cinco ou seis anos para ser concluído, depois do que, um monge é livre para seguir e escolher qualquer uma das práticas de  retiro pessoal que  mais se identifique.
A oportunidade de acompanhar o Dalai Lama em suas visitas ao exterior permitiu que os monges Namgyal  participassem de  inúmeras apresentações de arte sacra tibetana e dança em boa parte do mundo  divulgando a beleza e importância desses ensinamentos.
No verão de 1988, monges do Mosteiro de Namgyal criaram uma mandala de areia no Museu Americano de História Natural, em Nova York. Mais de 50.000 pessoas vieram para assistir a este processo durante a demonstração de seis semanas. Historicamente, a criação de mandalas de areia sagradas sempre foi realizada em segredo, mas o Dalai Lama tem agora permissão para o público  testemunhar esta arte sacra.
Através de seus ensinamentos,  culturais e espirituais, os monges Namgyal trouxeram a consciência da cultura e da religião do Tibet para todo o mundo.

Fonte:https://viagensculturais.wordpress.com/2012/09/20/o-mosteiro-de-namgyal-dharamsala-india/

Postagens mais visitadas deste blog

OS MUDRAS NO BUDISMO E SEU SIGNIFICADO

Os Mudras no Budismo 

Os mudras são os gestos simbólicos que são associados aos budas. Esses gestos são muito utilizados na iconografia hindu e budista.

Mudra, uma palavra com muitos significados, é caracterizada como gesto, posicionamento místico das mãos, como selo ou também como símbolo. Estas posturas simbólicas dos dedos ou do corpo podem representar plasticamente determinados estados ou processos da consciências. Mas as posturas determinadas podem também, ao contrário, levar aos estados de consciência que simbolizam. Parece que os mudras originaram-se na dança indiana, que é considerada expressão da mais elevado religiosidade. [...] O significado espiritual dos mudras encontra sua expressão perfeita na arte indiana. Os gestos das divindades representadas na arte hinduísta e budista e os atributos que os acompanham simbolizam suas funções ou aludem a determinados acontecimentos mitológicos. [...] No decorrer dos séculos, os budas e bodhisattvas representados iconograficamente com s…

5 PRECEITOS BUDISTAS PARA ENCONTRAR A PAZ INTERIOR

5 Preceitos Budista para encontrar a paz interior

SOBRE AS ESCOLAS DENTRO DO BUDISMO

SOBRE AS ESCOLAS DENTRO DO BUDISMO Como a maioria das religiões e filosofias mundiais, o Budismo de acordo com a sua evolução histórica dividiu-se em diversos grupos e segmentos que diferenciam entre si em algumas doutrinas e visões do budismo. Não conseguiremos aqui distinguir todos os ramos do budismo que existem ou já existiram, mas analisaremos aqueles de maior relevância histórica. Escola TheravadaO Budismo Theravada; quer dizer literalmente, "o ensino dos anciões", ou "o antigo ensino" é considerada a mais antiga escola de Budismo ainda existente. Por muitos séculos, o Theravada tem sido a religião predominante no Sri Lanka, Birmânia e Tailândia; atualmente, o número de budistas Theravada em todo o mundo excede 100 milhões de pessoas. Em décadas recentes, o Theravada começou a fincar suas raízes no Ocidente. Escola MahayanaA Escola Mahayana (nome que quer dizer "grande veículo") é atualmente a maior das duas principais tradições do Budismo existentes h…