Pular para o conteúdo principal

AS MANDALAS DE AREIA VARRIDAS...- TRADIÇÕES E RITOS ANTIGOS TIBETANOS

TW_TibetSand05_670

As Mandalas de areia varridas…


As tradições e ritos antigos tem muito a nos ensinar se pudermos aprender sem julgar, independente da crença, podemos aprender a partir de todas as religiões, e isso é incrível! Neste post falaremos sobre uma das mais belas tradições do mundo antigo que permanece com a sua essência até hoje: a criação de mandalas. Os monges budistas tibetanos tem criado mandalas há 2.500 anos, e segue sendo uma das mais belas e simbólicas tradições religiosas do mundo. Cada mandala tem o seu ponto central circundado por um círculo, um desing de simetria perfeita com um significado específico que é acompanhado de várias divindades e símbolos. Para iniciar a criação da mandala, os monges realizam uma cerimônia de “abertura” cantando mantras e músicas ritualísticas para consagrar a terra na qual ela será criada. E então, um dos monges começa a desenhar uma base com lápis, régua e compasso no papel a partir de sua memória. Uma vez que as linhas bases são criadas, os monges trabalham juntos, delicadamente derramando areia no papel com suas ferramentas a fim de criar uma mandala vibrante, tridimensional e rica em detalhes. As rezas e meditações diárias são inclusas no processo de criação. Eles a criam em representação do Universo, e é dito que cura o ambiente à medida que os indivíduos a constroem. Uma única mandala pode levar dias ou mesmo semanas para ser concluída.
Tem um vídeo muito legal que mostra a construção, 1 semana em 8 minutos! Veja:
Incrível! Um desenho lindo vai surgindo aos poucos a partir de cada grãozinho individual se cria uma bela mandala de areia, rica em cores e formas!
TW_TibetSand01_670
Quando a mandala é concluída, os monges realizam outro ritual desfazendo a mandala por inteira. A areia é arrastada em uma ordem específica e dispersas no rio. Agora você deve estar pensando, mas como assim? Todo esse trabalho para ser varrido? Sim! E essa é uma das grandes lições dessa tradição, pois evoca a noção da impermanência da vida e uma demonstração de não-apego aos objetos materiais. No entanto, há uma outra intenção maior ligado à esta tradição.
A ideia é de que cada grão de areia ao ser usado, é preenchido com as bênçãos daqueles que o criam, observam e o vêem acontecendo. Esses grãos de areia são então liberados em um rio, que os leva para o oceano, e o oceano espalha a areia para o mundo inteiro. É desta forma, que cada mandala toca os corações de milhares de milhões de pessoas, de uma forma profundamente espiritual.
Abaixo segue algumas fotos do processo criativo e das mandalas que tem sido feitas antes de serem dissipadas ao mundo:
TW_TibetSand02_670
TW_TibetSand03_670
TW_TibetSand04_670
TW_TibetSand12_670
TW_TibetSand10_670
Depois de um longo e delicado processo, os monges varrem as mandalas…. E a grande pergunta é, por que?!
TW_TibetSand09_670_6701
O maior presente no Universo, algo que nos permite compreender a beleza da natureza, é a impermanência das coisas. Quando você observa algo majestoso, por exemplo, um por do Sol… Quanto tempo ele durará? Talvez, meia hora, uma hora? E então, ele é levado enquanto a noite toma seu lugar. Me lembra muito um ensinamento budista, em que o aprendiz questiona seu mestre sobre a morte. Ele pergunta o que é morrer, e o mestre lhe responde: “Como o Sol que brilha sobre nós e se põe no horizonte, parece que ele desapareceu, mas ele apenas foi brilhar em outro lugar”.
TW_TibetSand07_670
Estas obras de arte trazem um novo significado para a palavra original, pois é uma peça a ser replicada apenas por ter sido vista por tantos olhos em sua forma original. Há algo bastante profundo sobre isso.
Em todas as coisas, é preciso uma enorme quantidade de energia para criar algo mágico … e apenas em momentos, você o vê indo embora. Isso se aplica a tudo, até mesmo em algo como o sexo. Pense nisso. Você gasta todo o tempo construindo, e no final de tudo isso, o orgasmo dura apenas momentos e, em seguida, o seu feito. Nos lembrando de que o realmente importa, de que caminhar é mais importante que chegar lá. <3
TW_TibetSand06_670
Que esses lindos ensinamentos possam te inspirar! Compartilhe!

Fonte:https://ograndejardim.wordpress.com/2016/01/13/as-mandalas-de-areia-varridas/

TW_TibetSand05_670

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUAL O SIGNIFICADO DAS BANDEIRAS DE ORAÇÃO NO BUDISMO TIBETANO ? - AS CINCO CORES SIMBOLIZAM AS 5 SABEDORIAS DO BUDISMO

QUAL O SIGNIFICADO DAS BANDEIRAS DE ORAÇÃO NO BUDISMO TIBETANO? "Qual o significado das bandeiras coloridas? É alguma festa?" Esta é uma pergunta frequente feita por quem, pela primeira vez, chega a um centro ou mosteiro budista tibetano. A questão é legítima, uma vez que semelhante costume nunca existiu no nosso país. O costume vem do Tibete e remonta ao século XI. Foi o grande mestre indiano Atisha (982-1054) que ensinou aos seus discípulos como imprimir orações e mantras sobre pedaços de tecido, a partir de blocos de madeira gravados. Estas bandeiras, fixadas a um mastro ou a um bambu, ou cosidas a cordas esticadas entre dois pontos, ondulavam livremente ao vento. Esta tradição acabou por ser muito difundida no seio do Budismo tibetano. À volta dos mosteiros, nos sítios sagrados, presas aos ramos da árvore de Bodhi, em redor do grande Stupa em Boudhnath e mesmo junto a habitações, vemos por toda a parte. Desfraldadas ao vento, a sua presença sonora acompanha a cadência das o…

PORTÕES DA PRÁTICA BUDISTA - CHAGDUD TULKU RINPOCHE - SÍNTESE DE GISLAINE D'ASSUNPÇÃO

PORTÕES DA PRÁTICA BUDISTA

Chagdud Tulku Rinpoche
Ed. Paramitas Ltda, 1995, Taquara – R.S




Trabalhando com o Apego e Desejo
Para compreender como o sofrimento aparece, pratique observar sua mente. Neste espaço da mente não há problemas não há sofrimento. Então, alguma coisa prende sua atenção - uma imagem, um som, um cheiro. Sua mente se subdivide em interno e externo, “eu” e “outro” sujeito e objeto. Com a simples percepção do objeto, não há ainda nenhum problema, Porém, quando você se foca nela,  nota que é grande ou pequeno, branco ou preto, quadrado ou redondo. Então você faz um julgamento – por exemplo, se o objeto é bonito ou feio. Tendo feito esse julgamento, você reage a ele: decide que gosta ou não do objeto.
 É aí que o problema começa, pois “Eu gosto disto” conduz a “Eu quero isto”. Igualmente, “Eu não gosto disto” conduz a “Eu não quero isto”. Se gostamos de alguma coisa, se a queremos e não podemos tê-la, nós sofremos. Se a queremos, a obtemos e depois a perdemos, nós sofremos.…

O SIGNIFICADO DO JARDIM ZEN

O SIGNIFICADO DO JARDIM ZEN O Jardim Zen representa o universo e foi concebido para inspirar vitalidade e serenidade. Representa o caminho da vida com as suas mudanças, os altos e os baixos, contratempos e obstáculos, o claro e o escuro, a luz e a sombra. Permite e o descansar da mente ao concentrarmos-nos num único ponto. Tranquiliza a ansiedade e os medos. A filosofia Zen tem por objectivo a expansão de nossa consciência. Zen, ensina-nos a comprometer e a reconhecer os passos que tomamos para avançar no sentido de um entendimento que nos leva a uma suposto iluminação distante. Este pequeno jardim Zen japonês ou outro, leva a que se possa criar, permite-nos refletir sobre os nossos sentimentos mais profundos, através da concepção e modelos que podemos usar . As pequenas coisas se tornam importantes quando temos a oportunidade de vislumbrar o sentido do mundo num grão de areia , uma vez que foi criado na simplicidade mais perfeita . Permite, ele vai acalmar a mente , refrescar nossas alma…